Estimulação precoce

Um bebê de pele branca com síndrome de Down está deitado no centro de uma boa de piscina em forma de rosca. Ele está apoiado em um travesseiro e segura um bichinho de pelúcia. Uma garota morena sentada à frente do bebê segura uma corda e puxa o pé dele para fazer exercícios de estimulação precoce.

As crianças com síndrome de Down possuem um grande potencial a ser desenvolvido. Elas precisam, contudo, de mais tempo e estímulo da família e de especialistas para adquirir e aprimorar suas habilidades. Uma boa estimulação realizada nos primeiros anos de vida pode ser determinante para a aquisição de capacidades em diversos aspectos, como desenvolvimento motor, comunicação e cognição.

Um bebê com síndrome de Down é “molinho”, menos ativo; mas isto diminui com o tempo e a criança vai conquistando, embora mais tarde que as outras, as diversas fases do desenvolvimento. Mas, afinal, o que é a estimulação?

Estimular é ensinar, motivar, aproveitar objetos e situações e transformando-os em conhecimento e aprendizagem. É levar a criança, através da brincadeira, a aprender sempre mais. Pode parecer complicado, mas não é: basta acreditar que o bebê vai aprender e ter vontade de ensinar. A ajuda de profissionais como fonoaudiólogos, fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais é fundamental nesta etapa, pois eles vão analisar em que áreas a criança pode estar passando por dificuldades para criar um programa de apoio.

A maior parte dos programas de estimulação precoce é dirigida a crianças de 0 a 3 anos. Para que você possa ter alguns parâmetros, disponibilizamos uma linha do tempo do desenvolvimento em nosso portal. No entanto, é importante não fixar idades para a aquisição de habilidades, pois há grande variação no desenvolvimento das crianças, especialmente em crianças com SD. O Guia de Estimulação para Crianças com Síndrome de Down, disponível gratuitamente para download, traz exercícios que podem ser realizados em casa ou com o apoio de profissionais e os vídeos Crescer com Síndrome de Down, com exercícios que a criança pode fazer em casa. Também sugerimos que você clique nos links abaixo para conferir dicas sobre como estimular bebês com síndrome de Down e atividades cotidianas que favorecem o seu desenvolvimento.

Dicas para fazer em casa:

Como estimular o bebê com síndrome de Down em casa

Um bebê com síndrome de Down faz exercícios para estimular a sua coordenação motora. Ele está deitado em um travesseiro e segura um bichinho de pelúcia. Uma mulher sentada no chão e na frente do bebê segura o sei corpo de lado para ajudá-lo nos exercícios de estimulação.

Estimulação nas atividades no dia a dia

Bebê branca com síndrome de Down fazendo estimulação em uma piscina inflável. As mãos de alguém a seguram pelo corpo e a menininha sorri para a câmera.

 

Vídeos com exercícios Crescer com Síndrome de Down

Lunna é uma bebê com síndrome de Down. Na foto, ela aparece em cima de um tapete onde faz exercícios de estimulação.

 

 

 

 

 

 

 

 

Exercícios para estimular a linguagem, cognição e memória da criança com síndrome de Down

Bebê negro com síndrome de Down. Ele está em cima de uma toalha de piquenique com alguns brinquedos em volta e abre a boca tentando falar. Essa imagem ilustra o exercício de estimular a fala.