Chat21 Informa

APLV – Alergia à proteína do leite de vaca

ilustracao de homem e garrafa de leite - balao de dialogo - texto - você sabia que a alergia a proteina do leite de vaca é muito comum em pessoas com sindrome de down?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Sabia que muitas pessoas com síndrome de Down têm alergia às proteínas do leite de vaca, que são a caseína, a lactoalbunima e a lactoglobulina?

A alta incidência (83,3%) de sintomas de intolerância às proteínas do leite em pessoas com síndrome de Down foi comprovada por estudo da Academia Britânica de Deficiência na Infância e da Associação Britânica para Saúde Pública de Criança e do Adolescente: 

http://adc.bmj.com/content/103/Suppl_1/A171.1

Veja o primeiro vídeo da série do Chat21, com apoio do Singularidade Down.

É muito importante atenção aos sintomas clínicos pois às vezes a alergia não aparece no exame de sangue.

MESMO QUE OS EXAMES DE IGE SEJAM NEGATIVOS . A PESSOA PODE SIM, TER ALERGIA AO LEITE DE VACA. ( ALERGIA NÃO IGE MEDIADA ).

Entenda por que isso acontece.

Existem três tipos de resposta alérgica:

Tipo 1 – Os sintomas iniciam dentro de 45 minutos da ingestão de pequenas quantidades do alimento, causando principalmente problemas na pele, eczema e urticária. Pode também apresentar problemas respiratórios (nariz escorrendo, chiado etc.) ou gastrointestinais (vômito e diarréia). Estas crianças normalmente têm concentração de IgE elevada.

Tipo 2 – Os sintomas iniciam diversas horas após a ingestão, apresentando, principalmente, sintomas de vômito e diarréia.

Tipo 3 – Os sintomas aparecem depois de 20 horas, ou até mesmo dias, após a ingestão, incluindo diarréia, com ou sem reações respiratórias ou na pele.

A alergia que se manifesta rapidamente tende a ser facilmente diagnosticada e é detectada no teste da pele (IgE). Por outro lado, a alergia que se manifesta muito depois da ingestão não é facilmente diagnosticada e tende a produzir doenças crônicas que às vezes, não são relacionadas facilmente com sua causa. O diagnóstico preciso, feito por um profissional, é essencial para que a causa seja determinada.

A alergia às proteínas pode desaparecer? Se o leite for excluído da dieta por dois a três anos, a pessoas tem cerca de 80 % de chances de tolerar leite em pequenas quantidades. Estudos tem sugerido que, aproximadamente, um terço das crianças e adultos perdem a condição de alérgicos após evitarem os produtos de laticínios que causam a alergia por dois ou três anos. Entretanto, os pacientes com hipersensitividade a amendoim, nozes, peixes e crustáceos raramente perdem sua condição de alérgicos. Além disso, estes quatro alimentos são os que causam a maioria das reações alérgicas que podem causar a morte por choque anafilático.

Como a alergia pode ser diagnosticada?
Somente as reações ao leite que ocorrem após poucos minutos podem ser diagnosticadas com a da análise de sangue ou teste na pele, porque estes testes detectam a IgE que está envolvida na reação imediata. Cerca de 60% das reações ao leite são do tipo de reação tardia e, talvez, não apresentem resultados positivos nas análises de sangue ou pele.

Atenção: não confundir as proteínas do leite com LACTOSE. Lactose é a fração correspondente ao acúcar do leite. São as proteínas que podem causar alergias e outras reações graves.

(Dra. Erica Coelho – Pediatra).

Veja os vídeos Chat21 Informa no site do Chat21: https://www.chat21.com.br/projeto06